Home / COVID-19 / Brembo regista menos 28,2% de receita no primeiro semestre
PUB

Brembo regista menos 28,2% de receita no primeiro semestre

Como esperado, os resultados do primeiro semestre de 2020 foram severamente impactados pela disseminação gradual no nível global da Pandemia de COVID-19, que penalizou particularmente o segundo trimestre do ano.
30 Jul. 2020
Brembo regista menos 28,2% de receita no primeiro semestre
PUB
O Conselho de Administração da Brembo, presidido por Alberto Bombassei, examinou e aprovou os resultados semestrais em 30 de junho de 2020. No primeiro semestre de 2020, a receita líquida consolidada totalizou € 951,1 milhões, queda de 28,2% em comparação com a primeira metade do ano anterior. Como esperado, os resultados do primeiro semestre de 2020 foram severamente impactados pela disseminação gradual no nível global da Pandemia de...
O Conselho de Administração da Brembo, presidido por Alberto Bombassei, examinou e aprovou os resultados semestrais em 30 de junho de 2020.

No primeiro semestre de 2020, a receita líquida consolidada totalizou € 951,1 milhões, queda de 28,2% em comparação com a primeira metade do ano anterior.

Como esperado, os resultados do primeiro semestre de 2020 foram severamente impactados pela disseminação gradual no nível global da Pandemia de COVID-19, que penalizou particularmente o segundo trimestre do ano.

Nesse cenário, no primeiro semestre de 2020, as vendas da Brembo para o segmento de automóvel caíram 27,7%, segmento motos em 34,0%, aplicações para veículos comerciais em 25,6% e aplicações para veículos de corrida 27,5% em relação ao mesmo período de 2019.

A nível geográfico, o desempenho dos vários mercados refletiu a pandemia de COVID-19 consoante os diferentes níveis de disseminação e adoção gradual de medidas de contenção pelos governos.

As vendas caíram 25,6% em Itália, 32,5% na Alemanha, 22,5% em França e 40,5% no Reino Unido. Na Ásia, as vendas na Índia e no Japão diminuíram 43,4% e 12,1%, respectivamente, enquanto na China as vendas caíram apenas 2,4%, graças a uma boa recuperação do mercado, com o segundo trimestre de vendas aumentando 23,2%.

O mercado norte-americano (EUA, México e Canadá) encolheu 34,8% e o sul-americano (Brasil e Argentina) 43,9%.
PUB  
PUB  
PUB