Home / Vida / Estudos / Consolidação e digitalização da distribuição de peças de reposição
PUB

Consolidação e digitalização da distribuição de peças de reposição

Apenas 39% dos reparadores independentes (IRs) em todo o mercado UE-5 admite fazer pedidos on-line regularmente, refere estudo ICDP*
19 Mai. 2020
Consolidação e digitalização da distribuição de peças de reposição
PUB
O setor de distribuição de peças já sofreu uma mudança significativa nos últimos anos, e isso ocorreu como resultado de três fatores principais. Em primeiro lugar, os canais on-line e a digitalização do processo de pedido de peças criaram novas possibilidades tanto para clientes particulares (lojas on-line de peças e acessórios, lideradas pela categoria de pneus), quanto principalmente para reparadores (catálogos eletrónicos e mercados...
O setor de distribuição de peças já sofreu uma mudança significativa nos últimos anos, e isso ocorreu como resultado de três fatores principais.

Em primeiro lugar, os canais on-line e a digitalização do processo de pedido de peças criaram novas possibilidades tanto para clientes particulares (lojas on-line de peças e acessórios, lideradas pela categoria de pneus), quanto principalmente para reparadores (catálogos eletrónicos e mercados on-line). Os novos distribuidores de peças on-line entraram em cena e cresceram rapidamente nos últimos quinze anos, mas, mais recentemente, o seu crescimento foi desacelerado por uma combinação de margens baixas (resultado de muitos deles se concentrarem em preços baixos), a necessidade de  investimento continuo em catálogos eletrónicos, logística e marketing e o desafio de sair do mercado de retalho, com potencial finito, e passar para vendas a reparadores profissionais. Dois dos maiores distribuidores de peças on-line foram comprados pelos mesmos tipos de players que se propuseram combater - Mister Auto pelo PSA Group em 2015 e Oscaro pelo Autodis Group / Parts Holding Europe em 2018.

A digitalização ajudou a simplificar o processo de pedido de peças para os reparadores e também permitiu que alguns fornecedores "pulassem" os escalões da cadeia de suprimentos tradicional e vendessem diretamente. No entanto, apesar da prevalência de ferramentas de pedidos on-line, a maioria dos reparadores independentes (IRs) ainda prefere encomendar suas peças por telefone (isso passa o ónus de identificar a peça precisa que eles precisam ao distribuidor de peças independente (PD) ), com apenas 39% dos IRs em todo o mercado UE-5 a admitir que faz pedidos on-line regularmente.

Em segundo lugar, a fronteira OEM versus IAM foi esbatida por vários OEMs e grandes grupos de revendedores, comprando PDs independentes (como a PGA / Emil Frey France comprando Aurilis / Flauraud em 2016) ou desenvolvendo estratégias para competir com eles de frente. O Grupo PSA tem seguido esse último caminho, agora vendendo seu equipamento original, peças da marca Eurorepar e peças IAM para todos os tipos de reparadores por meio de sua rede de distribuidores Distrigo, focada em menos hubs do que uma rede tradicional de revendedores.

E terceiro, houve uma consolidação significativa dos PDs por alguns grandes players, dos quais o maior, LKQ e GPC, se expandiram para a Europa a partir de seu mercado doméstico, os EUA.



*ICDP é uma organização internacional baseada em pesquisa focada na distribuição automóvel.
PUB  
PUB  
PUB