Home / Vida / Estudos / MOTORTEC AM destaca estudo do CETRAA
PUB

MOTORTEC AM destaca estudo do CETRAA

A Feira apresenta estudo da Confederação Espanhola de Oficinas, CETRAA, sobre hábitos dos condutores no que diz respeito à correta manutenção dos veículos.
07 Mar. 2019
MOTORTEC AM destaca estudo do CETRAA
PUB
A Confederação Espanhola de Oficinas, CETRAA, realizou um inquérito junto de oficinas especializadas em eletromecânica que questionou sobre a sua perceção em relação ao estado dos veículos que chegam às suas instalações, em função da idade dos mesmos. As perguntas incluídas no estudo centraram-se em elementos determinantes para o controlo do veículo e, portanto, para a segurança rodoviária. Estes elementos são: pneus,...
A Confederação Espanhola de Oficinas, CETRAA, realizou um inquérito junto de oficinas especializadas em eletromecânica que questionou sobre a sua perceção em relação ao estado dos veículos que chegam às suas instalações, em função da idade dos mesmos.

As perguntas incluídas no estudo centraram-se em elementos determinantes para o controlo do veículo e, portanto, para a segurança rodoviária. Estes elementos são: pneus, travões, amortecedores, direção e motor. Os intervalos de idade dos veículos considerados foram os seguintes: 1-5 anos, 6-10 anos ou mais de 10 anos.

Conforme revelam os resultados mostrados pelo estudo, uma percentagem elevada de condutores circula com os elementos de segurança analisados muito gastos. E esta situação piora à medida que se analisam carros de mais idade. É assim que mais de 70% dos veículos com 11 anos ou mais chegam à oficina com pneus e/ou amortecedores muito gastos. "Isto seria fácil de evitar se uma cultura de manutenção preventiva fosse implantada de forma eficiente”, declarou Enrique Fontán, presidente da Confederação de oficinas.

As oficinas também foram consultadas sobre o grau de seguimento das recomendações da oficina pelos condutores, quanto à realização da sua manutenção ou revisão. As conclusões tiradas foram muito reveladoras, visto que mostram que aproximadamente metade deles não têm em conta as referidas recomendações. Se a isto acrescentarmos o facto de 30% dos condutores não respeitarem os prazos recomendados de revisão do seu veículo, fica evidenciado que ainda resta muito caminho por percorrer em termos de sensibilização dos cidadãos, relativamente ao valor das manutenções preventivas dos seus veículos.
PUB  
PUB