newsletter

Receba gratuitamente e em 1ª mão as notícias do aftermarket automóvel! 



O “Pulmão” do Motor

7 Setembro 2009

O filtro de ar protege o motor da agressão de poluentes que acabariam por se transformar numa massa abrasiva.

Consoante a sua cilindrada, um motor consome entre 200 a 500 m de ar por hora. Ora, o ar absorvido vem carregado de impurezas, variável de acordo com o clima, o revestimento das estradas, o grau de poluição atmosférica, etc. Todas estas partículas de sujidade acabariam, inevitavelmente, por se transformar numa massa abrasiva, de efeito temível para o motor.

O filtro de ar é, pois, indispensável dado que se trata de um verdadeiro “pulmão". Um filtro de ar em más condições pode estar na origem de várias anomalias de funcionamento:
- Problemas na carburação que, caso não sejam resolvidos, aumentam de tal forma que tornam a condução extremamente desagradável;
- Perdas de desempenho do veículo;
- Aumento do consumo do carburante;
- Penetração de partículas de sujidade através do carburador ou do sistema de injecção, que pode provocar danos relevantes no motor.

A mudança do filtro de ar assegura uma economia do carburante; um desempenho ideal do motor; e um motor menos poluente. 70% dos veículos cujo filtro foi substituído, passam facilmente no controlo técnico anti-poluição. É, por isso, importante respeitar as indicações dos construtores que, geralmente, aconselham à substituição do filtro de ar do motor todos os 20 mil quilómetros.

Não caia no erro que proceder a uma limpeza do filtro de ar do motor por meio de “batidelas”, dado que este procedimento comporta o risco de danificar imediatamente o elemento de filtragem e causar danos no motor.

Texto: Pedro Fontes e Purflux | Foto: Purflux




Filtro de ar
Quem Somos   |   Contactos   |   Publicidade   |   MKT Empresas   |   Condições Legais