newsletter

Receba gratuitamente e em 1ª mão as notícias do aftermarket automóvel! 



Cuidados a Ter na Substituição das Velas de Incandescência

6 Setembro 2009

A substituição das velas de incandescência deve obedecer a algumas regras simples. O seu não cumprimento pode resultar em mau funcionamento do motor e encurtamento da vida útil da vela.

A – Prestar especial atenção aos seguintes pontos

1 - Evitar sempre que a sujidade depositada à volta do orifício da vela caia no interior da câmara de combustão;
2 - As velas de incandescência e as porcas de conexão da corrente, devem ser apertadas com o par de aperto correcto;
3 - As porcas de conexão da corrente devem ser apertadas com o par de aperto correcto. Se os pares de aperto são demasiado altos, pode danificar-se a vela de incandescência, isto é, pode causar a sua destruição (a rotura da porca de conexão ou o sobreaquecimento devido à obturação da passagem anelar). 

B – Montagem da vela de incandescência com chave dinamométrica

É absolutamente necessários observar as prescrições do fabricante do automóvel. O par máximo de aperto não deve exceder 20-25 Nm. Não olear nem colocar massa lubrificante na rosca. 

C – Montagem da vela de incandescência sem chave dinamométrica

Enroscar a vela de incandescência com a mão até que fique apoiada ao bloque do motor. Continuar apertando-a mais ou menos 30º, utilizando a chave poligonal adequada. Não olear nem colocar massa lubrificante na rosca. 

D – Aperto da porca de conexão da corrente

O par máximo de aperto da porca de conexão da corrente não deve exceder 3 Nm.

E – Deve-se montar a vela específica para cada motor

As velas de incandescência estão especialmente ajustadas aos diversos tipos de motores e de incandescência. Por esta razão, ao substituírem-se as velas de incandescência, é muito importante considerar que cada propulsor deve ser equipado só com velas de incandescência desenhadas exactamente para esse tipo de motor. Assegure-se que as dimensões e a tensão sejam idênticas aos originais. A montagem de velas de incandescência com características diferentes às das originais, provoca o risco de danos no motor - cada tipo de vela de incandescência é específico para cada motor.

Tanto a longitude do tubo de aquecimento como a ensambladura do corpo determinam o perfeito alojamento da vela e sua zona de incandescência no lugar preciso previsto pelo construtor. Todas as funções de temporização, tanto de pré-aquecimento, como de pós-aquecimento, vêm programadas pela centralina electrónica montada de origem nos veículos

F – Passo a passo da operação de substituição de velas de incandescência

Fique a conhecer os passos gerais de substituição de velas de incandescência. 

1º. Em certas marcas automóveis é necessário que se remova completamente os 4 tubos de injecção. Isto liberta espaço na cabeça do motor para a substituição das velas de incandescência. Noutras marcas como, por exemplo, nos modelos Peugeot, Citroën, Fiat, Ford e Opel, a instalação das velas de incandescência não requer a remoção dos tubos de injecção. 



2º. Desapertar a fonte de energia das velhas velas de incandescência. Retirar as velas da cabeça do motor. 



3º. Inserir as novas velas e apertar segundo o torque de aperto recomendado pelo construtor do veículo. 



4º. Apertar o elemento fornecedor de energia de acordo com o torque recomendado pelo construtor. Caso tenha retirado os tubos de injecção, voltar a reinstala-los. 



5º. Substituir o velho relés de pré-aquecimento situado no painel dos relés, por um novo. 



Texto: João Fajardo e Beru | Fotos: Beru

Quem Somos   |   Contactos   |   Publicidade   |   MKT Empresas   |   Condições Legais