newsletter

Receba gratuitamente e em 1ª mão as notícias do aftermarket automóvel! 



Especificações ACEA e API

7 Setembro 2009

Veja as especificações mais importantes para óleos de motor.

ACEA: As diferentes aplicações dos óleos de motor descrevem-se através de letras com a classificação europeia ACEA (Associação dos Construtores Europeus Automóvel).

A: Para motores a gasolina de veículos ligeiros.
B: Para motores Diesel de veículos ligeiros e comerciais.
C: Para veículos ligeiros com filtros de partículas Diesel.
E: Para motores Diesel de veículos Pesados.

API: As classes API (American Petroleum Institute) informam sobre as características e prestações de óleos para motores americanos. As classificações API mais actuais são SM para motores a gasolina e CI-4 para motores Diesel de veículos pesados. Actualmente os veículos ligeiros Diesel ainda não estão classificados com a norma API.

Motores a Gasolina 

A1:
Categoria de óleos de motor que permitem economia de combustível (“Fuel Economy”). De extrema baixa viscosidade (“High-Temperature-High Shear”) (HTHSS, <3,5 mPas). Classes de viscosidade preferenciais são XW30 e XW20. 

A2: Categoria de óleos de motor convencionais e óleos de motor de fácil circulação.

A3: Categoria de óleos de motor convencionais e óleos de motor de fácil circulação com utilização mais severa do que A2. Supera ACEA A2 no respeitante ao Noack (perdas por evaporação), limpeza dos pistões e estabilidade à oxidação.

A5: Categoria de óleos de motor convencionais e óleos de motor de fácil circulação. Corresponde ao ACEA A3, com inferior viscosidade HTHS. Num motor de teste tem de ser comprovada uma economia de combustível > a 2,5%, em comparação com um óleo 15W40 de referência.

Motores a Diesel – Veículos Ligeiros

B1: Categoria de óleos de motor com economia de combustível (“Fuel economy”), de extrema baixa viscosidade (“High-Temperature-High Shear”) (Corresponde a A1).

B2: Categoria de óleos de motor convencionais e óleos de motor de fácil circulação.

B3: Categoria de óleos de motor convencionais e óleos de motor de fácil circulação. Supera ACEA B2 no respeitante ao desgaste, limpeza dos pistões e estabilidade da viscosidade.

B4: Nova categoria para motores Diesel com injecção directa (TDI).

B5: Corresponde à ACEA B4, com inferior viscosidade HTHS. Num motor de teste tem de ser comprovada uma economia de combustível > a 2,5%, em comparação com um óleo 15W40 de referência.

C1: Novo desde 10/2004 para veículos ligeiros Diesel com filtros de partículas Diesel. Teor de cinzas sulfatadas máx. 0,5%. Com rebaixado HTHS (Ford).

C2: Novo desde 10/2004 para veículos ligeiros Diesel com filtros de partículas Diesel. Teor de cinzas sulfatadas máx. 0,8%. Com HTHS > 2,9 mPas (Peugeot).

C3: Novo desde 10/2004 para veículos ligeiros Diesel com filtros de partículas Diesel. Teor de cinzas sulfatadas máx. 0,8%. Com HTHS > 3,5 mPas (DaimlerChrysler e BMW).

Motores a Diesel – Veículos Pesados

E1: Obsoleto.

E2: Corresponde á MB 228.1.

E3: Obsoleto desde 10/2004.

E4: Baseado na MB 228,5. Nenhum teste de motor OM 364 A, mas sim Mack T8 & T8E. Os mais alargados intervalos de mudança de óleo, indicado para motores Euro III.

E5: Obsoleto desde 10/2004.

E6: Para motores SRG com/sem filtros de partículas Diesel e motores com catalisadores NOX; aconselhdo para motores com filtros de partículas em combinação com combustível isento de enxofre; Teor de cinzas sulfatadas < 1% (peso).

E7: Para motores SRG sem filtros de partículas Diesel da maioria dos motores com catalisadores NOX; Teor de cinzas sulfatadas < 2% (peso).

Para além das especificações apresentadas, há fabricantes que exigem as suas próprias especificações.

Fonte: Fuchs
 

Quem Somos   |   Contactos   |   Publicidade   |   MKT Empresas   |   Condições Legais