newsletter

Receba gratuitamente e em 1ª mão as notícias do aftermarket automóvel! 



Correias em V e Estriadas 1

7 Setembro 2009

As correias em V e estriadas são duas das mais importantes peças de ligação do motor.

CORREIAS EM V

As correias em V, são, como o nome indica, correias com um único canal em forma de V.

CORREIAS ESTRIADAS

Uma correia estriada consiste de vários canais em forma de V que encaixam em múltiplas ranhuras em forma de V na polia. As correias estriadas são especialmente adequadas para funcionamentos complexos. Caracterizam-se por velocidades de funcionamento maiores e temperaturas de trabalho menores em relação às correias em V. Outro dos factores favoráveis é de se poderem utilizar polias com um diâmetro menor e oferecem uma duração maior que as correias em V. A carga distribuí-se uniformemente às partes da superfície de trabalho, oferecendo maior estabilidade e tolerância nas cargas bruscas.

APLICAÇÃO

Para o funcionamento dos componentes auxiliares, como alternadores, bombas de água, direcção assistida e ar condicionado, utilizam-se tanto as correias em V como as estriadas. A sua estrutura e construção são muito parecidas.

INSTRUÇÕES DE MONTAGEM

Uma montagem adequada e uma correcta tensão da correia asseguram um funcionamento sem problemas. É importante seleccionar a correia adequada. Devem seguir-se as especificações dos fabricantes para o tipo de veículo, o tamanho do motor e o ano, já que pode ser difícil determinar a proporção entre a secção transversal e o comprimento da correia medindo a correia desgastada.

Montagem prévia
Quando se substituem as correias deve-se certificar que as polias não apresentam sinais de desgaste. Polias desgastadas ou defeituosas são uma causa importante de desgaste prematuro das correias. Se uma polia não funciona correctamente deve-se substituí-la antes de instalar as correias.

Montagem
Antes de mais deve-se desligar a bateria. De seguida, pode-se soltar as fixações e substituir a correia sem danificar as ranhuras da polia. Deve-se efectuar a montagem da correia à mão. Não se deve enrolar ou foçar de nenhuma forma a correia. Forçar a montagem de uma correia pode danificar as cordas.

Correias em V
A potência transmite-se através do contacto da parede lateral da correia com a parede da ranhura da polia. Existe o hábito de dizer que a parte inferior da correia em V também deve estar em contacto com a parte inferior da ranhura da polia. Mas aqui isso não se aplica. Se a correia entra em contacto com a parte inferior da ranhura da polia, o poder de transmissão será reduzido e os lados da correia alisar-se-ão devido à patinagem e ao calor.

Correias estriadas
Ao montar-se uma correia estriada há que ter atenção para que as estrias se encaixem perfeitamente na polia. Se o mecanismo incluir uma polia tensora, o seu funcionamento e condição devem ser verificados.

INSPECÇÃO E ESTADO DE TENSÃO DA CORREIA

Tal como outras peças de substituição, as correias automóveis deverão inspeccionar-se regularmente para verificar a sua condição e o seu estado de tensão.

Correias em V
As correias em V devem ser inspeccionadas para detectar possível endurecimento, gretas ou desfiamento. A parte inferior da correia deve ser verificada para se detectarem desgastes como alisamento ou pontos de alta temperatura.

Correias estriadas
As correias estriadas também necessitam de ser verificadas para detecção de eventuais gretas. Há que prestar particular atenção a qualquer sinal de falta de secções de estrias.

Estado de tensão da correia
Deve-se sempre confirmar que se aplicou uma tensão correcta usando um indicador de tensão de correia. Se a correia não tiver a tensão correcta pode deslizar perante aceleração ou carga, provocando maior desgaste e menor duração. Se a tensão da correia é excessiva podem-se danificar os rolamentos da polia. A medida da tensão varia consoante o tipo de correia.

FERRAMENTAS PARA O SERVIÇO DE CORREIAS AUTOMÓVEIS

Para facilitar a montagem das correias, existem ferramentas que asseguram a sua escolha acertada e que garantem um valor correcto de tensão.

Indicador de tensão
O indicador de tensão está disponível em duas versões, uma para as correias em V e a outra para as correias estriadas.

Medidor de comprimento
O medidor de comprimento de uma correia utiliza-se para identificação da correia correcta se outras especificações ou informações sobre do tipo de correia não estão disponíveis. O indicador de comprimento pode-se usar tanto para correias em V como estriadas. 

Texto: João Lima e Roulunds | Fotos: Roulunds




Correia estriada Correia em V e correia estriada
Quem Somos   |   Contactos   |   Publicidade   |   MKT Empresas   |   Condições Legais