newsletter

Receba gratuitamente e em 1ª mão as notícias do aftermarket automóvel! 



Manutenção dos Travões

8 Julho 2009

Muitos dos mais graves acidentes devem-se a um mau funcionamento dos travões. Por isso, é essencial a sua boa manutenção.

São os travões que permitem parar o seu veículo segura e rapidamente em todas as condições de condução, em piso molhado ou seco, sendo os travões dianteiros responsáveis por 70% da potência de travagem na maioria dos veículos.

Hoje em dia, muitos dos mais graves acidentes devem-se a um mau funcionamento dos travões. Por isso, é essencial que todos os componentes dos travões sejam mantidos nas melhores condições possíveis: os travões de disco nas rodas dianteiras, os travões de tambor ou de disco nas rodas traseiras e, eventualmente, o sistema de travagem anti-bloqueio (ABS), caso o seu veículo disponha desta característica.

Por que é importante a manutenção dos travões - Mesmo que não falhem completamente, os travões com uma manutenção deficiente podem funcionar de uma forma imprevisível, pondo-o a si, aos seus passageiros e outros automobilistas em risco.

Os travões gastos aumentam a distância de travagem e contribuem para uma travagem desequilibrada, por vezes, até descontrolada. E se pensaremos no tempo que demoram a travar, mesmo em boas condições de condução – atingindo uma distância de travagem equivalente a 4 comprimentos de um veículo, a 50 km/h, e até 12 comprimentos de um veículo, a 100 km/h – é fácil compreender por que é essencial manter os seus travões em perfeitas condições.

As pastilhas dos travões exercem pressão sobre os discos, por isso, se estiverem gastas não só é mais difícil para o veículo, como também podem danificar os discos e exigir reparações mais dispendiosas. Nos travões de tambor, os calços devem ser regularmente verificados para evitar o desgaste prematuro.

Quando deverá inspeccionar os seus travões? - Eis alguns sinais comuns, que indicam problemas de travões a que deve estar atento: 

• Geralmente, sente-se apreensivo quando trava;
• Os travões parecem demasiado frouxos;
• As rodas bloqueiam mais rapidamente do que o habitual;
• O veículo guina ao travar;
• Tem de pisar mais o pedal para que os travões funcionem;
• Ouve ruídos ao travar;
• O nível do fluido dos travões desceu.

Texto: David Cupertino e Ford | Foto: Michelin
 




Travões deficientes são imprevisíveis
Quem Somos   |   Contactos   |   Publicidade   |   MKT Empresas   |   Condições Legais